top of page
  • Foto do escritorEdson Pavão

Adoção em Portugal: requisitos legais e processo de adoção


Adoção em Portugal é um assunto que tem despertado interesse de muitas pessoas que desejam adotar uma criança ou adolescente no país. As leis de adoção em Portugal foram reformuladas em 2015, com o objetivo de tornar o processo mais justo e eficiente.


É fundamental entender as leis de adoção em Portugal e seguir os requisitos legais para a adoção, para garantir que todo o processo seja realizado de forma correta e transparente. Neste texto, vamos abordar as leis de adoção em Portugal, os requisitos para ser um adotante e como funciona o processo de adoção.


Se você está considerando adotar uma criança ou adolescente em Portugal, é importante entender todo o processo e as responsabilidades envolvidas. Continue lendo para saber mais sobre adoção em Portugal.


Leis de adoção em Portugal

As leis de adoção em Portugal foram reformuladas em 2015 com o objetivo de tornar o processo mais ágil e justo. As alterações na legislação garantem que as decisões sejam tomadas com base no interesse da criança ou do adolescente, levando em conta sua situação familiar, social e emocional.


De acordo com a lei de adoção em Portugal, qualquer pessoa maior de 25 anos pode adotar uma criança ou adolescente, independentemente do estado civil, orientação sexual ou nacionalidade. No entanto, é importante destacar que o processo de adoção é rigoroso e inclui várias etapas, desde a candidatura até a obtenção da guarda definitiva.


Para se tornar um adotante em Portugal, além de ter mais de 25 anos, é necessário preencher alguns outros requisitos legais, como:

  • Ter capacidade para exercer os direitos e deveres parentais;

  • Ter condições de proporcionar uma vida adequada à criança ou ao adolescente;

  • Ter um perfil adequado às necessidades da criança ou do adolescente que se pretende adotar.

É importante lembrar que a lei proíbe a adoção por pessoas ou casais que tenham sido condenados por crimes contra menores, ou que tenham sido privados do exercício das responsabilidades parentais.


Como funciona o processo de adoção em Portugal

O processo de adoção em Portugal começa com a apresentação de um pedido de adoção ao Tribunal de Família e Menores da área de residência do adotante. O pedido deve ser acompanhado de uma série de documentos, como certidões de nascimento, casamento ou união de facto, declarações de idoneidade e outros.


Após a apresentação do pedido, o Tribunal de Família e Menores realiza uma avaliação dos adotantes, para verificar se eles preenchem todos os requisitos legais para a adoção. Em seguida, é feita uma busca para encontrar uma criança ou adolescente que se enquadre no perfil dos adotantes.


Quando é encontrada uma criança ou adolescente que se enquadra no perfil dos adotantes, é feita uma avaliação da compatibilidade entre a criança e os adotantes. Se houver compatibilidade, é feita uma proposta de adoção, que é analisada pelo Tribunal de Família e Menores.


Como averbar a adoção feita no Brasil em Portugal

Se você adotou uma criança no Brasil e posteriormente se mudou para Portugal, é possível averbar a adoção no país europeu. A averbação é um procedimento legal que tem como objetivo dar publicidade a um ato jurídico praticado em outro país, reconhecendo-o e dando-lhe validade no país de destino.


Para averbar a adoção, deve-se fazer um processo conhecido como Homologação de Sentença Estrangeira em um Tribunal em Portugal. Esse processo é obrigatório para quem pretenda passar a nacionalidade para filhos adotivos. É necessário apresentar a documentação comprovando a adoção, como a sentença judicial e o termo de adoção, todos devidamente apostilados.


Todo o processo é realizado com o auxílio de um advogado especializado, que irá orientá-lo em todas as etapas e garantir que todo o procedimento seja realizado de forma correta e transparente.


É importante destacar que, mesmo após a averbação da adoção no Brasil em Portugal, as leis portuguesas também precisam ser cumpridas e seguidas, como se fosse uma adoção feita em Portugal.


Por isso, é fundamental que o adotante esteja ciente das responsabilidades envolvidas e siga todas as orientações do advogado e do Tribunal de Família e Menores. Com a averbação da adoção, a criança ou adolescente adotado passa a ter os mesmos direitos e deveres de um filho biológico, garantindo a segurança jurídica e a proteção dos direitos da criança.


A adoção em Portugal é um processo que exige muita atenção e dedicação por parte dos adotantes. É importante lembrar que a adoção é uma responsabilidade enorme, e que os adotantes devem estar preparados para enfrentar os desafios e as responsabilidades que ela implica.


Adoção em Portugal é um assunto muito delicado e importante, por isso é fundamental contar com o auxílio de um advogado especializado para orientá-lo em todas as etapas do processo.


Agora continue sua leitura e saiba como funciona a transcrição de casamento em Portugal.

33 visualizações0 comentário

留言


bottom of page